Parecer do CFM para a Estimulação magnética

Por: Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva (EMTr)  18/01/2012
Palavras-chave: Depressão, Transtorno De Humor Bipolar, Saúde Mental

 PROCESSO-CONSULTA CFM nº 7.435/08 – PARECER CFM nº 37/11
INTERESSADO:

Estimulação magnética transcraniana

RELATOR:

Cons. Emmanuel Fortes Silveira Cavalcanti

 

EMENTA: A estimulação magnética transcraniana (EMT) superficial é considerada ato médico reconhecido como válido e utilizável na prática médica nacional, com indicação para depressões, alucinações auditivas e planejamento de neurocirurgia. A EMT superficial para outras indicações, bem como a EMT profunda, continuam sendo procedimentos experimentais.

RELATÓRIO

            Com a aprovação na Câmara Técnica de Psiquiatria em 26/8/10, adoto o inteiro teor do parecer por ela elaborado, transcrito abaixo:

            “A estimulação magnética transcraniana (EMT) superficial é um procedimento médico terapêutico e também útil para o planejamento de neurocirurgia que há vários anos vem sendo pesquisado em serviços psiquiátricos nacionais e de outros países.

            O Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (Ipq-HC-FMUSP), em documento datado de 26 de junho de 2007, assinado pelo professor Marco Antônio Marcolin (CRM-SP 38301), coordenador do Grupo de Estimulação Cerebral Não Invasiva do Ipq-HC-FMUSP; pelo professor doutor Manoel Jacobsen Teixeira (CRM-SP 17.968), professor titular da disciplina de Neurocirurgia da Faculdade de Medicina da USP e diretor da Divisão de Neurocirurgia Funcional do IPq–HC-FMUSP; e pelo dr. Wagner Farid Gattaz (CRM-SP 25.956), professor titular da disciplina de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP e presidente do Conselho Diretor do IPq–HC-FMUSP, solicita ao Conselho Federal de Medicina a regulamentação da estimulação magnética transcraniana.

            Em 15 de agosto, na 8a sessão plenária de 2008, do Conselho Federal de Medicina, o Processo-consulta CFM nº 5.032/07 foi apreciado e aprovado o relatório do conselheiro Luiz Salvador de Miranda Sá Júnior, cuja conclusão é:

            “A Câmara Técnica de Psiquiatria opina que a EMT deve ser reconhecida como ato médico ainda experimental por carecer de dados que comprovem a validade de suas indicações, a definição dos limites de seu emprego como ato profissional e a segurança de seu emprego”.

            A solicitação que originou o presente processo-consulta foi firmada pelo Conselho Diretor do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, reconhecida e renomada instituição de ensino e pesquisa de nosso país, com o fundamento de que a EMT tem sido pesquisada no Brasil e alhures, com evidência de resultados positivos frente ao placebo e para as depressões (uni e bipolar) e alucinações auditivas (esquizofrenia), e comprovadamente eficaz para tornar mais preciso o planejamento neurocirúrgico acoplando o aparelho ao neuronavegador.

O grande número de publicações científicas recomenda sua validação para uso pela medicina brasileira, acrescentando ao arsenal terapêutico equipamento e técnica que só poderá ser administrada por médico que também se obrigue a possuir equipamentos de suporte a emergências e os saiba manejar para prestar os primeiros socorros destacando, entre outros, as convulsões.

            Anexo ao processo há farto material bibliográfico, com destaque para o texto Transcranial brain stimulation for treatment of psychiatric disorders, de M.A. Marcolin & F. Padberg (Kanger, 2007).

 

CONCLUSÃO

            Que a estimulação magnética transcraniana superficial deva ser adotada como ato médico reconhecido como válido e utilizável na prática médica nacional, com indicações para depressões (uni e bipolar), alucinações auditivas (esquizofrenia) e planejamento de neurocirurgia.

            A operação dos aparelhos de EMT deve ser realizada exclusivamente por médico, haja vista tratar-se de técnica que, além dos conhecimentos de biofísica, exige conhecimentos de anatomia, fisiologia e fisiopatologia do cérebro humano, bem como das doenças mentais. A operação dos aparelhos requer plena capacidade para identificar imediatamente as possíveis complicações, e tratá-las.

            O ambiente onde se realiza a EMT deve ser específico e dispor de condições para assistência a possíveis complicações, entre elas as crises convulsivas.

            Para outras indicações, a estimulação magnética transcraniana superficial deve continuar sendo um procedimento experimental, por ainda carecer de dados que comprovem sua validade, praticados mediante protocolos de pesquisa, em caráter gratuito, e em estabelecimentos de reconhecida finalidade de pesquisa.

            A estimulação magnética transcraniana profunda, por ainda não ter definidos os limites de seu emprego e critérios de segurança, deve continuar sendo ato médico experimental e praticado mediante protocolos de pesquisa, em caráter gratuito, em estabelecimentos de reconhecida finalidade de pesquisa.”

 

Este é o parecer, SMJ.

 

Brasília-DF, 6 de outubro de 2011

Palavras-chave: Depressão, EMTr, Esquizofrenia, Estimulação Magnética, Estimulacao magnetica transcraniana repetitiva, Neuroestimulação, Psiquiatria, Saúde Mental, Transtorno De Humor Bipolar, Transtornos Psiquiátricos, Tratamento antidepressivo, Tratamento com Estimulação magnética,

Contatar Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva (EMTr)

Email

Imprimir esta Página

Outras notícias e atualizações da Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva (EMTr)

18/01/2012

Da telepatia a eletroencefalografia

  O Dr. Moacyr escreve sobre a origen da Eletroencefalografia:


18/01/2012

Mudança de sala

 Continuamos no mesmo endereço e com os mesmos telefones de contato: Rua Vergueiro, 1855 - Cj 46 Vila Mariana - São Paulo - SP Tel: (11) 5083-0342 Email:


30/10/2011

Brasil ocupa o primeiro lugar no ranking da prevalência da depressão

  A doença não deixa marcas aparentes, é impossível de ser diagnosticada por exames de imagem e, confundidos com uma tristeza normal, os sintomas podem passar despercebidos. Mesmo assim, a depressão é a quarta principal causa de incapacitação em todo o mundo, e de acordo com projeções da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2030 ela será o mal mais prevalente do planeta, à frente do câncer e de algumas doenças infecciosas. Hoje, segundo um estudo epidemiológico publicado na revista e


Equipe IPAN contribui com o primeiro livro brasileiro sobre Neuroestimulação de Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva (EMTr) miniaturas
30/10/2011

Equipe IPAN contribui com o primeiro livro brasileiro sobre Neuroestimulação

 Este livro surgiu do pedido de alunos e participantes de simpósios de neuromodulação não invasiva, pois havia necessidade de uma ferramenta inicial para o aprendizado dessa área de conhecimento que mescla ciências biomédicas básicas e aplicadas. Há 10 anos não seria possível conceber um livro de neuromodulação com foco em estimulação cerebral não invasiva.


Após concluir pós-doutorado, fundadores do Instituto voltam ao Brasil de Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva (EMTr) miniaturas
26/08/2011

Após concluir pós-doutorado, fundadores do Instituto voltam ao Brasil

Após concluir pós-doutorado, fundadores do Instituto voltam ao Brasil focando o atendimento nos mais recentes estudos internacionais.