O retorno da estimulação cerebral na terapêutica dos transtornos neuropsiquiátricos: o papel da esti

Por: Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva (EMTr)  17/10/2009
Palavras-chave: Depressão, Esquizofrenia, Eletroconvulsoterapia

 O retorno da estimulação cerebral na terapêutica dos transtornos neuropsiquiátricos: o papel da estimulação magnética transcraniana na prática clínica. Rev. psiquiatr. clín. [online]. 2004, vol.31, n.5, pp. 221-230.
Fregni, Felipe  e  Marcolin, Marco Antonio.Palavras-chave : Estimulação magnética transcraniana; eletroconvulsoterapia; depressão; esquizofrenia; epilepsia; AVC; distonia e doença de Parkinson.     
Estimulação magnética transcraniana (EMT) é uma nova técnica capaz de estimular o cérebro humano com algumas vantagens sobre as já existentes. A EMT é indolor, não-invasiva, simples de ser aplicada e, mais importante, é considerada de baixo risco para pesquisas em seres humanos. Essa nova ferramenta tem sido proposta para ser usada como tratamento de diversas doenças neurológicas e psiquiátricas. A EMT pode atuar modulando a excitabilidade cortical no cérebro humano. Portanto, essa técnica pode ser usada no tratamento de patologias cerebrais que cursem com alterações de excitabilidade cortical, como epilepsia, acidente vascular cerebral, distonia, doença de Parkinson, depressão e esquizofrenia. Alguns desses transtornos têm sido extensivamente estudados, tal como a depressão, porém os resultados ainda não permitem a aplicação desse método na prática clínica. Entretanto, no futuro, a EMT pode se tornar uma poderosa ferramenta na terapêutica em neuropsiquiatria.

Palavras-chave: Depressão, Eletroconvulsoterapia, EMTr, Esquizofrenia, Estimulação Magnética

Contatar Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva (EMTr)

Email

Imprimir esta Página