A estimulação magnética cerebral é eficaz para depressão recorrente

A estimulação magnética cerebral é eficaz para depressão recorrente de Clinica Brasileira de Estimulacao Magnetica

Por: Clinica Brasileira de Estimulacao Magnetica  04/09/2009
Palavras-chave: Depressão, Eletromagnética, Antidepressivo

Investigadores de Boston demonstraram que pacientes com depressão maior refratária podem ter algum alívio em sua sintomatologia com sessões seriadas de estimulação magnética transcraniana repetitiva (EMTr).
O Dr. Alvaro Pascual-Leone, da Beth Israel Deaconess Medical Center, e colaboradores, estudaram a eficácia de sessões repetidas de EMTr em 16 pacientes com transtorno depressivo maior que haviam respondido a um tratamento inicial de 10 dias com 10 Hz de EMTr.
Os pacientes foram acompanhados por um período de quatro anos e apresentaram 64 recaídas de episódios depressivos. A gravidade da depressão foi aferida antes e após cada sessão de EMTr. A redução igual ou superior a 50% no escore da escala HAM-D (Hamilton Rating Scale for Depression) foi considerada uma melhora clínica significativa.
O Dr. Pascual-Leone e seus colaboradores publicaram em junho no Journal of Clinical Psychiatry que “aproximadamente metade dos pacientes apresentaram uma melhora clínica significativa com séries repetidas de EMTr”. A redução média do escore na escala HAM-D foi de 64,8% e de 60,4% na escala Beck Depression Inventory (BDI).
A equipe de pesquisadores encontrou que “apesar da falta da medicação antidepressiva auxiliar, o intervalo médio entre as sessões foi de aproximadamente cinco meses, e o período sem medicação variou entre 23 e 43 meses“.
Os autores informaram que a EMTr foi bem tolerada e que as séries repetidas da estimulação “não resultou em nenhum problema digno de preocupação”.
“Embora seja importante, o tratamento das recaídas é clinicamente menos desejável que a manutenção efetiva dos efeitos antidepressivos da EMTr. Apesar de não haver dados disponíveis sobre a terapêutica de manutenção, um efeito sustentado parece ser obtido com a realização de uma a duas sessões semanais de EMTr por um período de seis meses a seis anos”, completaram os autores


J Clin Psychiatry 2008;69:930-934

 

Palavras-chave: Antidepressivo, Depressão, Eletromagnética, EMTr, Estimulacao magnetica, Estimulacao Magnetica Transcraniana,

Contatar Clinica Brasileira de Estimulacao Magnetica

Email

Imprimir esta Página