PMI Positive Material Identification

PMI Positive Material Identification de EMC Engenharia

Por: EMC Engenharia  22/01/2010
Palavras-chave: Engenharia, metais, Aço

 

A ANÁLISE QUÍMICA DE MATERIAIS, REALIZADA ATRAVÉS DE ESPECTROMETRIA POR FLUORESCÊNCIA DE RAIOS-X PORTÁTIL. SUAS APLICAÇÕES INDUSTRIAIS E COMERCIAIS NOS SEGMENTOS MAIS SIGNIFICANTES.

A globalização dos mercados nos dias atuais, através dos meios de comunicação como internet e logísticas de transporte,  permitiu que se realizem praticamente qualquer tipo de negócios e investimentos em  empreendimentos, pesquisa e desenvolvimento, em prazos cada vez menores.

Essa nova agilidade dos mercados força uma concorrência acirrada entre as empresas, criando um conceito de três variáveis, PRAZO, QUALIDADE E PREÇO. Cada mercado tem em si uma particularidade, que prioriza uma ou duas variáveis em detrimento de outra. Para se exemplificar, um produto que tenha o melhor preço do mercado, dificilmente vai ter o melhor prazo de entrega ou a melhor qualidade.

Com estes argumentos, a EMC Engenharia visa em seu escopo de serviços, fornecer meios técnicos para se assegurar a qualidade do material de um determinado produto de uma empresa,  oferecendo serviços com prazos reduzidos em comparação com a média do mercado. Os valores dos serviços oferecidos pela EMC também estão entre os mais competitivos. Quanto à qualidade, a empresa investiu na mais avançada tecnologia disponível, criando então meios para se atender da melhor maneira possível às tres variáveis apresentadas.

A atuação da EMC dá-se em diversos segmentos econômicos e em várias etapas dos processos de fabricação e utilização dos produtos relacionados, sendo eles o Petroquímico, Químico, Farmacêutico, Sucroalcooleiro, Equipamentos Industriais, Siderurgia, Mineração, Medicinal, Alimentício, Eletroeletrônicos e outros mais em que a qualidade do material, principalmente quando estes são específicos e especiais, seja fundamental para se assegurar durabilidade, confiabilidade e evitar danos materiais ou acidentes.

Os serviços de análises podem ser amplamente utilizados no recebimento e expedição de materiais para confirmação dos pedidos, em separação de misturas no almoxarifado quando se perde a rastreabilidade e em certificação de materiais (PMI) em equipamentos e estruturas já instaladas ou em fabricação e outras possibilidades mais.

Pelo fato de utilizar equipamentos portáteis, a EMC Engenharia, possui total mobilidade para prestação de serviços em todo o território Nacional. Esta mobilidade viabiliza realizar as análises em qualquer etapa da cadeia produtiva, sejam elas, nas instalações do cliente, de seus fornecedores e também em nossas instalações.

A tecnologia da Fluorescência de Raios-X, possibilita ainda, um método de verificação da composição química de uma amostra de maneira não destrutiva, isto é, nenhum tipo de marca ou alteração química é realizada na amostra. Esta característica é fundamental quando falamos de produtos acabados ou já instalados, pois não é preciso efetuar a remoção de material ou mesmo alteral qualquer característica físico-quimica do produto. Outra vantagem é que, em uma grande variedade de casos, não é necessário nem a desmontagem do produto, como por exemplo, bombas, válvulas, peças soldadas ou insertadas e outros equipamentos, desde que o espectrômetro (equipamento de análise), tenha acesso ao ponto desejado, evitando assim a perda de características físicas ou testes anteriores, como o de estanqueidade. Em válvulas pode-se, por exemplo, analisar esferas, guilhotinas, sedes, hastes, corpo e outras partes que se façam necessárias. Deste exemplo pode-se expandir o conceito para qualquer equipamento.

Por se tratar de um equipamento de pequenas dimensões, este ainda pode ser levado até o local da análise, como o interior de fornos, caldeiras, reatores, torres de destilação e outros locais que se possa imaginar.

A técnica explanada não requer, obrigatoriamente, um contato direto entre o espectrômetro e a amostra, podendo desta maneira analizar materiais em movimento, como um eixo de um equipamento em funcionamento ou mesmo uma peça que esteja sendo usinada.

Outra característica relevante é que a amostra a ser analisada pode estar a até 400°C, que o equipamento fará a leitura dos elementos químicos sem interferências. Isto possibilita que, equipamentos em operação, muitas vezes não necessitem de serem desligados e aguardar seu resfriamento, tais como linhas de vapor e outros produtos que tenham sua temperatura de processo elevada, desta maneira não interrompendo o seu fluxo produtivo. Esta característica possibilita que, equipes de manutenção que necessitem fazer o levantamento de equipamentos em que a documentação não está acessível, ou mesmo em casos em que se tenha dúvida sobre o material instalado, tenham resultados conclusivos não interferindo no processo produtivo.

A análise espectrométrica possibilita ainda a verificação de vários elementos químicos simultaneamente. Desta maneira, a verificação de um material não se atém apenas aos elementos químicos especificados em Norma. Pode-se desta maneira verificar o residual de outros elementos químicos, que não devem estar presentes na composição do material. Como hoje em dia uma grande parte da produção mundial de aço e outras ligas, agrega em seus produtos materiais reciclados, pode-se então ter resíduos não desejados na liga. Em muitos casos, apenas 0,5% de um elemento químico presente em uma liga pode descaracterizar totalmente o material, deixando o mesmo inutilizável para a aplicação determinada. Se este elemento não for verificado, como por exemplo no Teste por Pontos, pode se incorrer em aprovações indevidas. É claro que ficaria inviável analisar todos os elementos químicos existentes, porém os mais comumente encontrados em ligas comerciais não são muitos, e o espectrômetro portátil pode analisar 21 elementos simultaneamente, que normalmente são: Ti, V, Cr, Mn, Fe, Co, Ni, Cu, Zn, Mo, W, Nb, W, Pd, Pb, Bi, Zr, Sn, Sb, Se, Ag. Outros elementos ainda podem ser verificados, porém no caso da EMC, esta consulta deve ser feita antes do início dos trabalhos.

O espectrômetro possui uma biblioteca progamável, onde pode-se inserir valores de concentração química de qualquer liga, podendo desta maneira trabalhar em qualquer norma, tais como, ASTM, AISI, DIN, JIS e outras que se façam necessárias. Durante a análise do material, o espectrômetro mostra em seu visor a concentração dos elementos químicos da amostra e também o nome do material no caso de o mesmo estar cadastrado na biblioteca do equipamento. Caso o material não esteja cadastrado, o equipamento mostrará a composição e indicará que a liga não foi encontrada na bilioteca. Ao final da análise, os resultados são salvos imediatamente em sua memória, ficando disponíveis para visualização no próprio equipamento ou para descarregar em um computador para emissão de um relatório. Os dados armazanados são criptografados e inalteráveis em seu arquivo original, mantendo dessa maneira a segurança sobre a manipulação de dados. Junto com os dados da análise, o equipamento pode armazenar juntamente, informações da amostra que se façam necessárias para sua devida rastreabilidade. Os dados devem ser inseridos no equipamento através de digitação antes do início de cada análise, e uma vez iniciada a análise estes dados não podem ser mais alterados. Este recurso permite que inspetores acompanhem a análise e tenham certeza de que os dados não foram manipulados durante a geração do relatório.

Palavras-chave: abnt, Aço, Aço Inoxidável, Aços Inoxidáveis, Analisador, Analisadores, Análises Químicas, Astm, Bronze, Caldeiras, Chumbo, cobalto, Cobre, Composição Química, Engenharia, ensaio não destrutivo, Espectrômetro, ferro, Forno, Fundições, Haste, Indústria Farmacêutica, inox, jazidas, Latão, Ligas De Aço, luva, Manganês, metais, Metais Pesados, Minérios, molibdênio, Nióbio, Níquel, parafusos, prata, Química, raios-x, Raio-X, Rastreabilidade, Reator, Selênio, Serpentina, solda, Titânio, Trocador De Calor, Tubo, tungstênio, valvula, Vanádio, Zinco, Zircônio,