Corporate

Corporate de Wooba

Por: Wooba  25/03/2010
Palavras-chave: Viagens E Turismo, Sistemas, Agência De Viagens

Selfbooking

A organização tem acesso on-line a reserva de vôos, hotéis e carros. Tudo isso sem precisar recorrer ao telefone, e-mail e outras formas de comunicação com agência que exigem tempo e aumentam a probabilidade de erro na transação. À agência, cabe então, o gerenciamento das reservas e emissões feitas.

Outra vantagem: faculta para a agência a possibilidade de liberar para as contas com cartão de crédito corporativo (EBTA, V-Corp, entre outros) ou forma de pagamento faturado, as emissões que antes seriam feitas pelo centro de atendimento.

Fluxo autorizativo.

O fluxo autorizativo envolve o cliente a agência de viagens. Organiza o fluxo de comunicação e estabelece um processo que engloba desde a solicitação do vôo, até a concretização da viagem.

Hierarquia dos usuários

O fator essencial para a concretização da política de viagens de qualquer empresa é existência de níveis para classificação dos usuários. A princípio, estes níveis são organizados em três:

- é o gestor, tem acesso a todas as requisições e autonomia para cadastrar usuários e classificá-los em organizadores ou viajantes, além de habilitá-los ou não a autorizar viagens.

– é habilitado a fazer reserva para mais de um usuário e organizar grupos de viagens.

- é o usuário que realiza suas próprias pesquisas e tem acesso apenas às suas requisições.

Relatórios

Partindo deste processo de solicitação e autorização, é formatado um banco de dados com registro de todas as transações. Isto permite a extração de dados sintéticos e analíticos essenciais para relatórios e cruzamento de dados. Com isto, é possível mensurar e monitorar, de forma transparente, os gastos com viagens da empresa.

Palavras-chave: Agência De Viagens, Consolidadoras, Sistemas, Viagens E Turismo,