Escala Musical

Escala Musical de Todos Tons Escola Livre de Música

Por: Todos Tons Escola Livre de Música  02/02/2009
Palavras-chave: teclado, Violão, cordas

   Escala musical Uma escala musical é uma seqüência ordenada pela frequência vibratória de sons (normalmente do som de frequência mais baixa para o de frequência mais alta), que consiste na manutenção de determinados intervalos entre as suas notas. // História A partir da descoberta de artefatos musicais pré-históricos, supõe-se que a primeira escala desenvolvida tenha sido a escala de cinco sons ou pentatônica, o que é confirmado pelo estudo de tribos em estágio de evolução primitiva encontradas comtemporaneamente. As escalas de 7 notas foram prováveis desenvolvimentos da escala pentatônica e tem-se o registro de sua utilização pelos gregos, apesar de que qualquer tentativa de resgate da sonoridade dessas escalas tratar-se de exercício puramente especulativo. A música grega morre junto com o Império Romano deixando apenas uma nota de rodapé do que seria todo o sistema musical utilizado à época. O fato é que, com o surgimento do cristianismo, houve uma adoção dos ritos judaicos, e essa é a origem do que seria a música ocidental posterior. Na Idade Média, a elaboração de um sistema de escalas (escala vem do italiano e significa escada) levava em conta não somente a nota fundamental do modo (fundamentalis) mas também a chamada corda de recitação, que era a nota ao redor da qual a melodia se desenvolvia, sendo essa nota a mais utilizada na música. Essas escalas foram chamadas de modos eclesiásticos e compunham-se de quatro: protus, deuterus, tritus e tetrardus. Esse sistema, chamado modal, não é um sistema totalmente definido; como há variação da corda de recitação entre duas músicas, elas podem estar dentro de um mesmo modo, mas se desenvolvem em direções diferente, sendo reclassificadas aí, a depender do âmbito em que elas se desenvolveram, como estando no modo plagal ou autêntico. Além disso, a música poderia muito bem gravitar entre os modos, o que dificultaria a classificação exata em que modo ela está (ou em que modo começou, ou em que modo terminou). Posteriormente, dois modos receberam a preferência dos compositores (o modo chamado jônico, ou tritus plagal, e o chamado eólio, ou protus plagal), sendo estes as origens das escalas diatônicas maior e menor: iniciava-se o período tonal da música. A partir do temperamento da música, ocorrido no séc. XVIII, onde procurava-se dar os mesmos valores proporcionais aos intervalos da escala diatônica, surge uma nova escala, em que todas as notas têm o mesmo valor dentro desta: a escala cromática. Com o segundo período do romantismo musical (romantismo nacionalista), fez-se necessária a incorporação de escalas exóticas nas quais as músicas de muitos países se baseavam. Às escalas ciganas, já conhecidas séculos antes, juntam-se escalas mozárabes, russas, eslavas, etc.. Debussy incorpora a escala de tons inteiros, onde se divide a oitava em seis intervalos iguais de um tom, à música. Posteriormente, novas escalas surgiram com a chamada música micro-tonal, além de incorporações de escalas antigas como a indiana, que divide a oitava em 22 sons, e a escala nordestina brasileira, mistura dos modos lídio e mixolídio. Tipos o        Escala diatônica: escala com 7 sons distribuídos em intervalos de tons ou semitons. Tem dois subtipos: §         Escalas antigas: os modos eclesiásticos. §         Escalas modernas: os modos maior e menor. o        Escala cromática: escala com 12 sons distribuidos igualmente na oitava. o        Escalas exóticas: escalas com formações diferentes das supracitadas.   Continua …  

Palavras-chave: Aulas de Instrumentos Musicais, Canto Erudito, cordas, gaita bateria, Percussão, Saxofone, teclado, Violão,

Contatar Todos Tons Escola Livre de Música

http://www.todostons.com.br

Email

Imprimir esta Página

Compartilhe